A QuartoSala é um Full-Service de Decoração de Interiores, Design de Interiores e Projectos de Decoração. A nossa missão, que mantemos desde 1995, é proporcionar a cada um dos nossos clientes as melhores soluções para decorar e equipar a sua casa

.posts recentes

. Candeeiro dimável

. Escolha de materiais

. Conjugar cores

. Automatismos

. Cortinas para a sala

. Philippe Starck

. Iluminação sala de jantar...

. Cortinas em tectos falsos...

. Mobiliário para o terraço...

. Quarto de criança

.arquivos

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Março 2009

Segunda-feira, 1 de Junho de 2009

Como decorar uma casa nova?

Olá

 

A minha pergunta é simples. Estou finalmente a decorar a minha casa nova. Em breve mudarei com a minha família para uma casa que projectámos de raiz, num lugar que gostamos e onde tenho a certeza que seremos todos muito felizes.

 

Gostava de fazer um corte com a decoração pouco funcional do apartamento onde moro actualmente.

Tenho comprado diversas revistas de decoração para me inspirar e acho o mobiliário de Design muito caro. É mesmo assim ou sou eu que estou desactualizada?

 

Obrigada,

 

Mafalda Correia

 

Olá Mafalda

 

O que diz é verdade e não é verdade. Na realidade para ter uma noção mais clara do valor de um móvel ou qualquer outra peça com um design mais consistente é preciso não olhar a curto prazo e entender o que está por detrás em termos de qualidade e longevidade do produto.

Realmente os preços com que nos deparamos podem assustar à primeira vista. Mas é importante constatar que na origem de cada produto existe todo um trabalho de investigação e disciplina que serão responsáveis pela boa qualidade e funcionalidade da peça. Todo este processo acrescenta valor e promove a longevidade ao mobiliário no qual pretende investir.

Por outro lado, nos últimos anos temos tido casos emblemáticos de designers que têm conseguido “vulgarizar” o design, tornando-o mais acessível.

Inventando ou simplesmente recuperando o que de melhor se produziu no passado mas aplicando agora novos processos de fabrico ou novos materiais.

Neste processo, as linhas de produção ganham relevância, o preço do produto final cai e o design torna-se mais democrático.

 

Veja o caso de um designer como Philippe Starck. Muitos acham que ele é um designer de elite, mas muito pelo contrário, ele é o grande vulgarizador do design.

 Umas vezes mais inspirad, o outras vezes menos, o que é facto é que o balanço dos produtos desenhados por ele é extremamente positivo e o grande público agradece.

Utilizando materiais surpreendentes e inovadores, é imparável na sua irreverência sem limites e conseguiu criar peças de excepção acessíveis a todos, apesar da grande mitologia associada ao seu nome.

Recomendo que conheça as suas criações para a Kartell  que tão bem exprimem a frescura de um design inteligente, confortável e inspiradamente moderno.

Por outro lado, mesmo que queira mudar radicalmente de decoração, veja se tem peças que quer aproveitar. As tendências actuais de decoração de interiores dizem-nos que uma peça que à primeira vista parece mais antiquada e representativa de uma decoração clássica pode ter cabimento dentro de uma decoração mais vanguardista.

 

Se não se sentir muito à vontade nesta área peça a ajuda dos nossos decoradores.

 

Veja mais em: Philippe Starck: Irreverência e genialidade

 

 

 

 

 

Clemente Rosado

www.quartosala.com

+351 21 441 1110


publicado por quartosala às 11:10

link do post | comentar | favorito
|

  
Clemente Rosado
Envie a sua questão

.pesquisar

 

.Fevereiro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
26

27
28


.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds